Qual a diferença entre gripe e resfriado?


Chegou o momento em que sintomas como febre, dores no corpo, espirros e tosse se desenvolvem com mais frequência. Estamos falando da gripe … ou é do frio? Afinal, existe diferença entre os dois?

Para responder às suas perguntas sobre este tema, a HEALTH falou com o imunologista Kelem Chagas, gerente médico da Sanofi Pasteur, a divisão de vacinas da Sanofi.

Qual é a gripe e quais são seus sintomas
A influenza é causada pelo vírus influenza, que pode ser do tipo A ou B. Cada uma dessas categorias se divide em outros subtipos – dentro de A, há H1N1; e, de B, o Yamagata, por exemplo.

Seus principais sintomas são febre alta, dor intensa no corpo, tosse, dor de garganta e cansaço. Geralmente, aparecem quatro dias após o contato com o agente infeccioso e persistem por mais de uma semana.

“O paciente não pode ficar em pé e sente uma maior necessidade de procurar ajuda médica”, diz Kelem Chagas.

Também é marcado pelo desencadeamento de outros problemas. “A influenza tem uma maior afinidade pelo pulmão. Portanto, a pneumonia é uma complicação mais freqüente”, diz o imunologista.

Além disso, a gripe pode piorar as condições de saúde existentes, como doenças cardíacas, asma ou doença pulmonar obstrutiva crônica. Portanto, é mais grave que o frio. Hora de falar sobre ele …

Qual é o frio e quais são seus sintomas
Há outra infecção respiratória, mas é desencadeada por vários tipos de vírus. O rinovírus está entre os mais comuns.

“Sua manifestação clínica é menos intensa”, diz o especialista. Os sintomas incluem coriza, febre baixa, tosse e espirros. A recuperação tende a ser mais rápida.

Como é a transmissão?
É o mesmo em ambos os aborrecimentos. Ocorre quando gotículas de saliva do indivíduo infectado entram em contato com a via aérea de outra pessoa (através de espirros, beijos, tosse …).

Objetos contaminados com essas gotículas também espalham a doença. “Isso é especialmente verdadeiro em locais fechados, como escolas, transporte público e ambientes de trabalho”, diz Kelem. Lavar as mãos ajuda muito nesse sentido.

No entanto, há uma diferença no tempo mais comum de contágio. “A sazonalidade é uma característica da gripe. É mais comum no outono e no inverno, até por causa da especificidade do vírus. O frio pode aparecer o ano todo”, relata o profissional.

Agora, o fato de que nessas estações mais frias as pessoas costumam ficar em ambientes internos favorece o surgimento das duas.

Quem são as pessoas mais afetadas?
A influenza afeta mais o chamado grupo de risco (crianças, idosos, gestantes, pacientes com doenças crônicas). E também pode ser mais sério neles. “A resposta imune nesses casos é menos eficaz do que a de indivíduos saudáveis”, diz Kelem.

O frio é, digamos, mais democrático. “No entanto, a imagem tende a melhorar em breve”, acrescenta o gerente médico.

Como funciona o diagnóstico?
Começa com a avaliação dos sintomas. Se é um frio, é o suficiente.

Já em casos suspeitos de influenza com um potencial mais grave, pode ser necessário realizar exames de sangue para confirmar a presença do vírus da gripe. Isso porque, dada a certeza de que é a gripe, certos tratamentos podem entrar em cena.

(Visited 6.588 times, 54 visits today)

Adicionar comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *